contador de visitas

quinta-feira, janeiro 21, 2010


Israel no Haiti
A incrível ajuda de comidas e remédios que os israelenses estão realizando no Haiti supera todas as expectativas. O hospital de campanha montado pela equipe humanitária israelense no Haiti está sendo chamado pelas demais equipes internacionais de socorristas de "hospital Rolls Royce", por conta do número e da qualidade de recursos disponíveis. A capacidade de atendimentos do hospital, é de 500 pacientes por dia. A base dos israelenses tem atendido aos casos mais urgentes. Com um longo histórico de missões humanitárias ao redor do mundo, os mais de 200 homens e mulheres israelenses conseguiram instalar em Porto Príncipe um centro com uma farmácia completa; uma ala pediátrica; um departamento de radiologia de alta tecnologia; uma Unidade de Terapia Intensiva completa, e ainda uma sala de emergência; duas salas de cirurgia; uma maternidade e um departamento de medicina interna. Mais da metade do contingente de Israel no Haiti é composto de militares especializados em busca e resgate sobre ruínas e identificação de corpos. O restante da missão possui 40 médicos, 44 enfermeiras e 20 paramédicos, todos pertencentes à Magen David Adom, organização equivalente à Cruz Vermelha de Israel. A instituição IsraAID, representa 15 organizações não-governamentais que trabalharam nestes casos de desastres. Além do já mencionado, enviou a Birmânia, equipe de voluntários especialistas em qualidade de água, para medir e tratar a água local, para que ela possa se tornar potável para os sobreviventes da região, que estavam morrendo de doenças, fome e sede. E não é somente agora. Em 1953 Israel enviou pessoal da Marinha para ajudar a Grécia, abalada por um grave terremoto. No Tsunami, na Indonésia e no Sri Lanka (paises islâmicos), Israel estava lá. Para a Indonésia, enviou mais de 75 toneladas de suprimentos médicos e remédios. Para o Sri Lanka, enviou médicos do Departamento de Cirurgia e Traumatologia do Hospital Hadassah, de Jerusalém, e equipes do Maguen David Adom. Em 2005, o Paquistão, a Índia e o Afeganistão foram atingidos por um grande terremoto. Ocorreu problema nas vias diplomáticas, quando Israel decidiu enviar sua ajuda humanitária. No Sudão, nos últimos anos, equipes israelenses tem se exposto ao perigo, se infiltrando no país para atender as vítimas do massacre. Na Turquia, em 1999, deram ajuda médica, incluindo cirurgias de emergência. No continente americano, Israel enviou equipes médicas e suprimentos para o México no terremoto de 1985, tendo o mesmo procedimento com Honduras, Nicarágua, Guatemala e El Salvador. Em 1999, a Colômbia sacudida por um forte terremoto, eles estavam presente. Em 2001, em El Salvador abalado pela tragédia de um terremoto. No primeiro de agosto de 2004, na tragédia do Paraguai. Em, Assunção, no terrível incêndio do supermercado, enviou médicos, remédios e equipamentos apropriados. No Irã, logo após o terremoto que matou 30 mil pessoas, em 2003, Israel enviou pessoal, remédios e equipamentos. As autoridades iranianas rejeitaram o oferecimento por razões políticas e ideológicas. Mesmo assim, o presidente de Israel, Moshe Katsav (nascido no Irã, em 1945), conclamou a população israelense a ajudar as vítimas iranianas com donativos individuais ou através de organismos internacionais.

Nenhum comentário: